Mal foi inaugurada, neste domingo, 24 de julho, a Vila Olímpica, construída no Rio de Janeiro para abrigar os atletas participantes das Olimpíadas 2016, já apresenta problemas. A delegação da Austrália deixou o local para ir a hotéis e emitiu um comunicado em que diz: nos prédios há cheiro de gás, vazamento de água e defeitos na eletricidade. “A vila não é segura”, disseram os atletas.

O comunicado afirma ainda que entre os problemas encontrados havia banheiros bloqueados, escadas sem iluminação e andares sujos, necessitando de uma “limpeza profunda”. Torneiras e banheiros foram ativados simultaneamente em apartamentos em vários andares para testar o sistema, como se todos os atletas já estivessem nos quartos. A água desceu pelas paredes, havia um forte cheiro de gás em alguns apartamentos e houve ‘curto-circuito’ na fiação elétrica.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, disse que considera legítimas as reclamações e que botaria até cangurus para deixar os australianos mais felizes. O diretor de comunicação australiano Mike Tancred, rebateu: “Não precisamos de cangurus, precisamos de encanadores para dar conta dos vários lagos que encontramos nos apartamentos” disse, ao jornal Folha de S. Paulo.