Imagem retirada da internet

Segundo a Anatel, o Brasil possui cerca de 251 milhões de celulares ativos até novembro deste ano. Estar conectado tornou-se se algo comum no dia a dia, mas o uso do aparelho durante o expediente pode provocar acidentes de trabalho. A desatenção é uma das principais causas. Segundo estatísticas do Governo, em 2014 ocorreram cerca de 17 mil acidentes do trabalho somente em Goiás. Na área metalúrgica, em todo Brasil, foram aproximadamente 10 mil.

O Superintendente do Trabalho em Goiás, Degmar Pereira, explica que “a maioria destes acidentes foram provocados por atos e procedimentos inseguros”. Ele alerta que o excesso de autoconfiança do trabalhador, ao manusear a ferramenta de trabalho, pode ser perigoso. “Muitos acidentes acontecem quando o trabalhador está muito descansado ou focado em outras coisas, como o celular. Quando a mente do trabalhador se afasta da sua tarefa e ele continua executando isso de forma mecânica, o risco aumenta”.

Segundo a advogada do SindMetal-GO, Dra. Maria Eugênia Neves Santana, não existe uma lei que proíba o uso dos celulares dentro das empresas, a restrição pode ser dada por meio do regimento interno de cada uma. No entanto, ela destaca que “se o trabalhador sofrer um acidente de trabalho por causa do uso do aparelho e nas normas internas for proibido o uso,  a empresa pode ser isentada pela justiça da obrigação de pagar indenização ao empregado”.

 Por Lorrany Castro