Após quase uma semana de paralisação comandada pela diretoria do SindMetal-GO, chega ao fim a greve dos trabalhadores na empresa GynGlass. O movimento terminou na manhã da sexta-feira, 23 de dezembro, após assembleia com os empregados. Durante todos os dias, sindicato e ativistas de outras cidades e entidades ficaram firmes no portão da empresa, junto aos operários, para pressionar uma proposta dos empresários.

Em assembleia, trabalhadores decidem por aceitar proposta feita pelos empresários

A principal reivindicação dos empregados se tratava do pagamento dos salários atrasados. Na tarde de quinta-feira, 22 de dezembro, após mediação na SRTE-GO entre SindMetal-GO e direção da GynGlass, os empresários se comprometeram a quitar todos os salários até o mês de fevereiro de 2017. Também ficou acordado multa diária de R$100,00 por empregado caso haja descumprimento e os dias parados por conta do movimento paredista serão considerados licença remunerada.

Mesa de negociação na SRTE-GO

Os trabalhadores retornarão à seus postos de trabalho no dia 28 de dezembro, um dia útil após o pagamento da primeira parcela. Presidente do SindMetal-GO e coordenador da greve, Eugênio Francisco afirma que o sucesso do movimento é resultado da união entre operários e sindicato. “Eles foram corajosos em continuar mobilizados e acreditaram em sua entidade representativa. Vamos terminar o ano satisfeitos e esperamos que a direção da empresa cumpra com o acordo” diz o dirigente.

Comando de greve teve apoio de diversos dirigentes sindicais de Goiânia e fora dela