Trabalhadores da Jardim Sistemas aceitaram proposta da empresa que possibilitará chegar ao teto salarial

Após quatro dias de paralisação, os trabalhadores da metalúrgica Jardim Sistemas, com sede no bairro de Sertãozinho, em Mauá, resolveram reiniciar as atividades no final da manhã de ontem.

Reunidos em assembleia organizada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá, os empregados resolveram aceitar a contraproposta da empresa.

A greve começou na quinta-feira passada como forma de reivindicação de um novo plano de cargos e salários para os cerca de 280 funcionários da metalúrgica.

Segundo o secretário administrativo e financeiro do Sindicato dos Metalúrgicos, Adilson Torres dos Santos, o Sapão, o plano de cargos e salários anterior não atendia aos anseios dos empregados. 

“O problema é que um funcionário antigo ganhava praticamente o mesmo salário que um recém-contratado e com menos experiência. Isso desmotiva quem está há muito tempo na empresa”, explicou o sindicalista.

Ainda segundo Sapão, a empresa ofereceu aos empregados reajuste do piso até o teto salarial da empresa em torno de 4% (há uma pequena variação para mais e para menos dependendo do salário ganho por cada trabalhador). “Dessa forma, em cinco anos o trabalhador conseguirá chegar ao teto da empresa. Vale ressaltar que o teto é diferenciado conforme a função exercida. Também conquistamos 60 dias de garantia de emprego contando a partir de hoje (ontem)”, disse.

Com relação às horas paradas, ficou acertado que toda a área de produção da empresa fará a devida compensação no feriado desta sexta-feira. Por ser feriado, há um adicional de 100% que praticamente cobre os dias de produção parada.

A empresa Jardim Sistemas atua no ramo de autopeças. Entre seus produtos está a fabricação de tanques de combustível, fornecidos às montadoras. Com 280 empregados, segundo o sindicato, somente os cerca de 70 da área administrativa não participaram da greve.

 Negociações /Com a data do dissídio coletivo da categoria chegando (1º de novembro), o Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá se prepara para a campanha salarial 2012. Não há nenhum movimento previsto para as próximas semanas, porém, as primeiras reuniões para definir a pauta de reivindicações já foram realizadas.

De acordo com Sapão, o momento é bom para negociar porque, apesar da forte crise internacional que afetou parcialmente a economia brasileira, não houve demissões como em épocas anteriores, o que dá mais força para os trabalhadores.

“Quando o mercado retrai muito, logicamente o trabalhador fica mais apreensivo em fazer reivindicações. Hoje, mesmo com as crises, o nível de emprego está mantido. O diferencial é que a faixa salarial está muito baixa, ou seja, quem trabalha há muito tempo numa companhia está ganhando pouco. E para o próprio empresario é interessante reajustar o salário de um funcionário experiente e produtivo, do que permitir que ele, bem treinado, busque uma melhor remuneração numa empresa concorrente”, avalia.

remuneração

“A faixa salarial está  baixa e é vantagem  reajustar para não perder um funcionário bem treinado”

 Adilson Torres dos Santos, o Sapão, membro do Sind. dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá

 

Fonte: Rede bom dia.com