Após o silencio do Simelgo, sindicato dos trabalhadores recorre à intermediação para tentar abrir as negociações

Depois do vexame provocado pelo sindicato patronal com relação à reunião que os próprios empresários marcaram na sede do SindMetal-GO, a diretoria da entidade encaminhou nesta terça-feira, 11 de fevereiro, oficio ao Superintendente Regional do Trabalho e Emprego em Goiás, Arquivaldo Bites Leão, requerendo mesa redonda entre as partes para mediação da negociação de 2014.

A pauta de reivindicações dos trabalhadores foi entregue no dia 02 de dezembro de 2013, mas até agora nenhuma contraproposta foi apresentada de fato a não ser a reunião em que se apresentaram um grupo de empresários do Simelgo acompanhados de advogado porém, sem procuração especifica para tal ato, bem como sem a ata da assembleia que supostamente teria nomeado tais empresários como comissão negociadora.

De acordo com o presidente do SindMetal-GO Roberto Ferreira, este gesto foi mais uma falta de respeito para com os trabalhadores da categoria.  “A intenção dos representantes empresariais é tumultuar as negociações e provocar atrasos no fechamento da Convenção Coletiva para fazer com que os trabalhadores da categoria aceitem qualquer contraproposta”, diz.

Segundo Roberto, a direção do sindicato da categoria quer resolver esse impasse através do diálogo e buscar o quanto antes o entendimento para concluir as negociações antes do vencimento da data base que ocorre em 1º de abril de 2014.

 Veja também:

> Nem as eleições da diretoria tiram o foco da campanha salarial de 2014

>Acompanhe tudo o que acontece nas eleições do SindMetal-GO 2014 pela nossa TV SindMetal

>Começam as eleições para a nova diretoria de um dos maiores sindicatos de todo o Brasil

 

Fonte: Núcleo de Jornalismo e Assessoria de Imprensa