Com o avanço das negociações, os trabalhadores bancários devem encerrar a greve da categoria nesta quarta-feira

Com o avanço das negociações, os trabalhadores bancários devem encerrar a greve da categoria nesta quarta-feira (26).

Assembleias ocorrem em todo território nacional, em 137 sindicatos, a partir das 18h. A orientação da Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), que reúne os sindicatos da categoria, é de encerrar a paralisação, posição que deve ser referendada pelos sindicatos locais.

Bancos fazem nova proposta e comanda recomenda fim da greve

Bancários fecham 9092 agências no 4º dia de greve

Veja como contornar a greve nos bancos

Na terça-feira (25), oitavo dia de greve, a Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro) avaliou a nova proposta de reajuste salarial da Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) e recomendou a aceitação dos novos termos.

A entidade patronal aumentou a proposta de reajuste para 7,5%, com 8,5% de aumento do piso salarial e dos auxílios para refeição e alimentação, além de um aumento na PLR (Participação nos Lucros e Rendimentos) fixa de 10%.

Com a nova proposta, o aumento passa para 2% no caso dos salários e de cerca de 3% no caso do piso da categoria.

A parcela fixa da PLR passou para R$ 1.540 fixos, sendo que ela é acrescida a 90% do salário do trabalhador. Somados os dois valores, o teto passaria a ser de R$ 8.414,34 (reajuste de 10%). Além disso, a PLR adicional passaria a ter um teto de R$ 3.080, também 10% superior.

Também foram aprovadas as propostas específicas para os trabalhadores da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil.

No caso da Caixa, o Contraf-CUT avaliou que houve avanços importantes, como a maior participação nos lucros, a contratação de 7.000 trabalhadores até 2013, a ampliação da concessão de bolsas de estudos e a concessão de seis horas por mês para estudar na Universidade Caixa durante a jornada de trabalho.

A proposta do Banco do Brasil também foi considerada satisfatória, com conquistas como a definição de data para implantar quadro de funções comissionadas com jornada de seis horas, a adesão do banco à cláusula de combate ao assédio moral de convenção coletiva assinada com a Fenaban e o novo piso após estágio probatório de 90 dias de R$ 1.948.

 

Fonte: Folha de São Paulo