Segundo associação da categoria, companhia estaria contratando cerca de 1.500 funcionários que eram terceirizados na Usiminas Mecânica

São Paulo – Ao contrário do que foi publicado ontem – que a Usiminas estaria preparando uma demissão em massa na planta de Ipatinga (MG) -, a companhia, na verdade, está recontratando cerca de 1.500 funcionários que eram terceirizados pela Usiminas Mecânica e vão se tornar empregados da Usiminas.

“Não houve nenhuma demissão, isso eu posso garantir, pois qualquer movimento nesse sentindo precisa passar pelo sindicato antes. O que está havendo é a primarização da mão-de-obra. Muda apenas a carteira de trabalho e os empregados não param de trabalhar”, afirmou Luiz Carlos Miranda, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Ipatinga (Sindipa), a EXAME.com, nesta quarta-feira.

Segundo ele, a movimentação começou há 60 dias e do montante recontratado, cerca de 200 funcionários não devem ter a carteira assinada neste primeiro momento, porque não há vagas disponíveis. “De qualquer forma, é louvável a postura da companhia de recontratação”, disse Miranda.

Na última terça-feira, o jornal Brasil Econômico havia publicado que cerca de 1.300 funcionários seriam demitidos na unidade de Ipatinga, desses, 300 já estavam na rua e os outros 1.000 restantes seriam mandados embora nos próximos meses.

A Usiminas registrou prejuízo de 37 milhões de reais no primeiro trimestre do ano, no mesmo período do ano anterior, a companhia havia registrado lucro de 16 milhões de reais.  A receita líquida somou 2,8 bilhões de reais.

Procurada, a assessoria da Usiminas não se pronunciou sobre o assunto.

Fonte: Exame