O Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense e o Metalsul (sindicato patronal) firmaram o acordo coletivo 2014/2015.

O documento, assinado na manhã de ontem, envolve cerca de 10 mil trabalhadores da base (Volta Redonda, Barra Mansa, Resende, Porto Real, Quatis, Itatiaia e Pinheiral).

Depois de quase dois meses de negociação, 63% dos trabalhadores, vinculados às empresas do Metalsul, aprovaram a proposta de reajuste salarial de 5,82%, equivalente ao Índice Nacional do Preço ao Consumidor (INPC), retroativo a 1º de maio. Também foram definidos os pisos salariais das empresas: R$ 810 (empresa com até 50 funcionários); R$ 875 (até 380 funcionários); R$ 940 funcionários (até 680) e R$ 1.024 para as empresas que possuem mais de 680 empregados.

O Sindicato dos Metalúrgicos conseguiu ainda que os empresários paguem, no mínimo, R$ 720 referentes à Participação nos Lucros e Resultados (PLR) – parcelados em duas vezes (fevereiro e agosto de 2015). E mais: as empresas que ainda não fornecem o Cartão Alimentação passarão a fornecê-lo no valor de R$ 70.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Renato Soares, considerou que, dentro do cenário econômico, o acordo foi razoável. “O setor metalúrgico está em crise e lutamos para conquistar um melhor reajuste aos trabalhadores. Durante toda negociação com o sindicato patronal buscamos o caminho do diálogo e isso favoreceu o bom desempenho dos acordos assinados até agora. Fico satisfeito que tenha havido a compreensão de vocês em colaborar para o reajuste nos salários dos trabalhadores”, afirmou Renato Soares.

Fonte: Mundo Sindical