A Polícia Militar informou que cerca de cem manifestantes estavam presentes

Sindicalistas ligados à UGT (União Geral dos Trabalhadores) fizeram um protesto nesta quarta-feira contra os juros cobrados pelos cartões de crédito na av. Brigadeiro Faria Lima, zona oeste da capital paulista.

Segundo os organizadores, o protesto, em frente à sede da Visa no Brasil, tem o objetivo de “alertar a sociedade para os juros exorbitantes cobrados por essas empresas financeiras, às custas dos salários dos trabalhadores e motivar o governo a exercer pressão para que a queda dos juros atinja também as operadoras que administram os cartões de crédito”.

A Polícia Militar informou que cerca de cem manifestantes estavam presentes.

Dados da Anefac (Associação Nacional de Executivos de Finanças) apontam que, em abril, o juro médio anual no rotativo do cartão de crédito ficou em 238,30%.

O presidente da UGT, Ricardo Patah, disse que essa situação “é um verdadeiro assalto praticado pelas operadoras de cartão contra o salário da classe média”.

A Visa, alvo do protesto desta quarta, informou que não estabelece taxas de juros, não emite cartões nem concede crédito ao consumidor. “Taxas do cartão, anuidades, definição dos juros e relacionamento com o portador do cartão são de responsabilidade das instituições financeiras”, informou.

A reportagem tentou contato com a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), mas não atenderam aos telefonemas.

Fonte: Folha.com