Na tarde da quarta-feira (22), o SindMetal-GO esteve com os representantes do Simelgo, sindicato das indústrias metalúrgicas, mecânicas industriais e de material elétrico para a 3ª reunião de negociação. O sindicato dos patrões apresentou a contraproposta que previa aumento salarial com índice de 80% da inflação. A pauta foi considerada absurda, já que todos os anos o sindicato dos trabalhadores não aceita índice abaixo do valor inflacionário. Não houve acordo e outro encontro será agendado.

A comissão negociadora do SindMetal-GO considerou absurda a contraproposta apresentada pelo Simelgo

Desde a primeira reunião, as negociações já tiveram avanços consideráveis e o SindMetal-GO continuará defendendo os trabalhadores. A entidade já conseguiu assegurar na justiça a data-base da categoria, que é em 1º de abril. Mesmo que o Simelgo não apresente uma contraproposta que possa ser aprovada até esta data, os empregados terão o reajuste a partir do momento que a Convenção Coletiva for fechada, com pagamento retroativo.

Para o presidente do SindMetal-GO, Eugênio Francisco os patrões querem tirar os direitos já conquistados pelos próprios trabalhadores

Para o presidente do SindMetal-GO, Eugênio Francisco os patrões querem tirar os direitos já conquistados pelos próprios trabalhadores. “É uma vergonha! Está fora de cogitação levar essa pauta para os empregados! Seria falta de caráter de nossa parte sendo representantes dos operários”, afirmou. Diferente do Simelgo, o Sindicato dos Proprietários das Oficinas Mecânicas (Sinpromego), fechou o Convenção Coletiva de Trabalho 11 dia antes da data-base, com 9,15% de aumento salarial.

O sindicato dos patrões apresentou a contraproposta que previa um aumento salarial com índice de 80% da inflação

Por João Paulo Dantas