Entre as grande, a alta foi de 2,9% e, nesta base comparativa, as médias e pequenas empresas também lideraram a expansão na busca por recursos, com alta de 6,9%.

 O fraco desempenho da economia e o encarecimento das linhas de crédito, com aumento do risco de inadimplência, têm limitado a disposição de companhias em buscar recursos de financiamento, segundo economistas da Serasa Experian. A demanda das empresas por crédito avançou 0,7% na passagem de julho para agosto, na série sem ajuste sazonal, segundo a instituição. Já na comparação com igual mês de 2013, a elevação foi de 6,2%. No acumulado dos oito primeiros meses do ano, a alta foi de 2,5% ante igual período do ano passado.

As micro e pequenas empresas foram as que apresentaram maior expansão na busca por financiamento, com alta de 0,8% na comparação mensal, sem ajuste sazonal. O crescimento entre as empresas de grande porte foi de 0,2% e, entre as médias, houve retração de 0,3% no mesmo período.Na comparação interanual, a demanda por crédito também recuou entre as companhias de médio porte (4,9%). Entre as grande, a alta foi de 2,9% e, nesta base comparativa, as médias e pequenas empresas também lideraram a expansão na busca por recursos, com alta de 6,9%.

O comércio liderou a elevação na busca por crédito em agosto ante julho (2,0%), seguido pela indústria (0,8%), de acordo com dados da Serasa. No setor de serviços, houve queda de 0,8%. Segundo Luiz Rabi, economista da Serasa, os dados de agosto mostram “normalização” da taxa de crescimento do indicador. “Em junho, houve queda nos setores de comércio e serviços devido aos feriados decorrentes da Copa do Mundo. Em julho, a alta foi expressiva porque a base comparativa era fraca e, agora, voltamos à normalidade, com taxas mais moderadas”, explicou, se referindo à comparação mensal, sem ajuste sazonal.

Na abertura dos dados da Serasa Experian por região, o movimento foi similar. Depois de registrarem quedas em junho e fortes altas em julho, a demanda das empresas por crédito desacelerou em todas as regiões do País. Na série sem ajuste sazonal, a expansão mais expressiva foi registrada no Centro-Oeste (4,6%), seguido por Nordeste (1,3%), Norte (0,9%) e Sudeste (0,4%). No Sul, houve retração de 0,4%.

Já na comparação de agosto com o mesmo mês de 2013, as taxas de crescimento da procurar de companhias por recursos foi mais intensa. No Norte, o crescimento foi de 12,7%, no Nordeste, de 11,8% e no Centro-Oeste, de 11,1%. Já no Sul, a expansão ficou em 7,5% e, no Sudeste, de 2,5%.

Fonte: O Popular