Diferença das exportações e importações, fechou o mês passado em pouco mais de US$ 5,4 milhões, mas é o 2º melhor janeiro em 10 anos

Índices negativos em dois dígitos nas exportações de carnes de aves e suína, e um fraco desempenho nas vendas externas de soja, levaram as exportações goianas, a uma queda de 13,37% em janeiro sobre o mesmo mês de 2013, totalizando US$ 397.44 milhões. Importações foram 7,38% menores, somando US$ 402,8 milhões. Com isso, o saldo (exportações menos importações), ficou negativo em US$ 5,42 milhões. Este resultado representa queda de 77,25% sobre o mês de janeiro do ano passado.

Ainda assim, segundo os números da balança comercial goiana, divulgados ontem, pela Secretaria de Indústria e Comércio (Sic), o resultado foi o segundo melhor para os meses de janeiro desde o início da divulgação da série histórica da balança, em 2004, perdendo apenas para janeiro de 2013.

De acordo com o secretário interino de Indústria e Comércio, Rafael Lousa, os números de janeiro são considerados normais, tendo em vista que este “é um período natural de redução, tanto nas exportações quanto nas importações”, afirmou. “No entanto, temos ótimas expectativas para o ano de 2014, inclusive com previsão de safra recorde tanto para Goiás quanto para o País”, complementa.

Rafael Lousa explica que entre os vários fatores que influenciaram o resultado da balança estão a redução nos preços das commodities, em função da conjuntura econômica mundial; a sazonalidade na produção de soja, que implicou em menor participação do produto no volume das exportações (11,8% neste mês x 33% no mês anterior) e a diminuição na demanda dos produtos, devido ao período de inverno no hemisfério norte.

Exportações

Mesmo com alta nas vendas externas de carne bovina (25%), totalizando US$ 82.085 milhões, as exportações do complexo carnes (bovina, suína e aves) caíram 3% sobre janeiro de 2013, alcançando US$ 124.013 milhões. Pesou para o déficit, retrações de -34% nas exportações de carnes de aves (US$ 27.993 milhões) e de -22,8% nas suínas (US$ 13.620).

As exportações de soja, que sazonalmente desaceleram nesta época do ano ficaram estáveis (0,3%) e somaram US$ 46.814 milhões. Contribuíram para um resultado melhor, altas de 30% nas exportações de ferroligas; de 55% nas de sulfeto de cobre (55%) e de 28,4% nas de couros e derivados.

Os principais destinos dos produtos que compõem a balança goiana foram os países baixos (sobretudo a Holanda) com US$ 65,15 milhões (16,39%) e a China, com US$ 46,82 milhões (11,78%).

Importações

A liderança das importações goianas, neste janeiro, ficou por conta dos produtos farmacêuticos (US$ 93,62 milhões – 23,24%) seguida por caldeiras, máquinas e equipamentos mecânicos (US$ 51,5 milhões – 12,78%); e adubos e fertilizantes (US$ 30,9 milhões – 7,67%).

Esses itens vieram principais da Coreia do Sul (US$ 88,2 milhões – 21,89%); Alemanha (US$ 79,6 milhões – 19,76%); Japão (US$ 56,86 milhões – 14,11%); Estados Unidos (US$ 38,84 milhões – 9,64%); e China (US$ 27,7 milhões – 6,89%). (Com dados da SIC)

Fonte: O Hoje