Foto: Arquivo Ascom SindMetal-GO

Os ruídos podem ser sons repetitivos, indesejáveis ou desagradáveis, mas, durante a jornada de trabalho, podem ser um vilão ainda pior, com risco de prejudicar seriamente a saúde do metalúrgico. A perda auditiva ou tinnitus (zumbido) é uma das consequências da exposição aos ruídos, além de prejudicar a fala e causar desconforto, estresse e irritabilidade.

O médico do trabalho Murdem Machado diz que a exposição diária aos ruídos podem provocar lesões permanentes. “Quando os ruídos ultrapassam 85 decibéis, podem causar lesões no nervo óptico ou nos tímpanos”. A exposição prolongada, mesmo em níveis inferiores a 85 ou 75 decibéis, também podem gerar desconfortos auditivos.

Uma forma de prevenção é o uso do protetor auricular e a diminuição ou controle dos ruídos. Para isso, é necessário a perícia regular do médico do trabalho no chão de fábrica para medir os decibéis. “O ideal é que as empresas realizem a medição dos ruídos há cada seis meses. Cessado os ruídos, os sintomas podem melhorar ou desaparecer”, explica o médico do trabalho. A perda auditiva ou tinnitus (zumbido) é uma das consequências da exposição aos ruídos, além de prejudicar a fala e causar desconforto, estresse e irritabilidade.