A reunião que ocorreu na manhã desta sexta-feira (28) com moradores do grupo “Diga não à rede de alta tensão” e a Companhia Energética de Goiás (Celg D) acabou sem novas propostas. Segundo a assessoria da Companhia, um novo encontro foi marcado para a próxima quinta (4) para que um projeto seja novamente discutido.

De acordo com um dos moradores presentes na reunião, Flávio Augusto Correia, era esperado que um novo traçado para as linhas de transmissão fosse apresentado, o que ainda não ocorreu. Estiveram presentes na reunião cinco moradores, o vereador Elias Vaz, um representante do deputado federal Ronaldo Caiado e o presidente da Celg D, Leonardo Lins Albuquerque.

O grupo “Diga não à rede de alta tensão” aponta várias irregularidades técnicas e ambientais que estariam ocorrendo na realização da obra. Durante uma audiência pública realizada no dia 20 deste mês, o presidente da Eletrobras José da Costa Carvalho Neto, que atualmente possui o controle acionário da Celg, se comprometeu a suspender as obras da linha de transmissão, que afetaria cerca de 20 mil moradores em nove bairros da capital.

A linha de transmissão em construção deveria ligar a subestação Carajás à linha Campinas-Atlântico e passaria pelas Avenidas Contorno Sul (Parque Anhanguera, Jardim Atlântico e Vila Boa), Madrid (Jardim Europa e Setor Faiçalville), Nadra Bufaiçal (Setor Faiçalville), Montreal, Francisco de Faria (Setor Santa Rita), Presidente JK, Viena (no Jardim Europa), São Luiz e na Rua Ilda Faria de Lemos (ambas na Vila Santa Rita).

Celg D

De acordo com a assessoria da Companhia, Leonardo Lins ainda deve se pronunciar sobre o assunto, no entanto, o presidente não concederá nenhuma entrevista até uma resposta concreta sobre o assunto. Na segunda (1º), Leonardo se reúne com os presidentes da Celg e na terça-feira (2), ele se reúne com o conselho. Na quinta (4), o presidente encontra novamente os moradores.

Fonte: O Hoje