O Congresso Nacional aprovou na madrugada da quarta-feira, 25 de maio, o projeto criado pelo presidente em exercício Michel Temer que revisa a meta fiscal e autoriza o déficit de R$ 170,5 milhões nos cofres públicos em 2016. A votação, que foi simbólica (sem mostrar os votos no painel), durou mais de 16 horas. Houve muita discussão.

O projeto foi, inicialmente, proposto pela presidente afastada Dilma Rousseff e previa um déficit de R$ 96 bilhões de reais. O diferencial entre Temer e Dilma é que o primeiro, ao aumentar o “rombo” nos cofres públicos, poupa os programas sociais e o bolso do trabalhador; uma vez que as despesas ficarão restritas às contas do Governo.

Em meio ao cenário político devastador que o Brasil está vivendo, evitar cortes que afetam a vida econômica da população é extremamente importante. Afinal, grande parcela de culpa dessa dificuldade do País vem dos próprios governantes. Em seu atual posto, Temer deve permanecer firme na ideia de que os trabalhadores comuns são os mais afetados pelo caos político do governo petista.