A produção industrial teve o melhor resultado do ano ao registrar crescimento de 3,6 pontos em agosto

A produção industrial teve o melhor resultado do ano ao registrar crescimento de 3,6 pontos em agosto, segundo dados da Sondagem Industrial divulgada nesta sexta-feira (21). No mês passado, a produção subiu para 54,7 pontos, ante os 51,1 pontos de julho. Em agosto de 2011 o indicador marcava 54,3 pontos.

Segundo a CNI (Confederação Nacional da Indústria), o crescimento de 3,6 pontos em relação a julho confirma a tendência de retomada da atividade no setor e afasta o indicador do grau de pessimismo. Na escala que varia de zero a cem pontos, números acima de 50 significam variação positiva; abaixo disso, negativa.

“Isso mostra que agosto teve um claro aumento da produção industrial, verificado em todos os portes de empresas”, diz o gerente-executivo de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca. Ele lembra que agosto é tradicionalmente, um mês que marca o começo de um bom período para indústria. Esse período usualmente vai até novembro, por causa das encomendas do comércio para as vendas de fim de ano.

O economista alerta, no entanto, que a atividade da indústria está abaixo do usual para o período do ano e que os estoques continuam elevados.

“A retomada do setor será gradual enquanto os estoques não forem ajustados”, afirmou. O indicador de estoque efetivo em relação ao planejado ficou em 51,8 pontos em agosto, ou seja, acima do que o previsto pelos empresários.

Conforme a pesquisa, a utilização da capacidade instalada subiu para 74% no mês passado, ante 73% em julho e 75% no mesmo mês de 2011. Em relação ao usual, a utilização da capacidade instalada ficou em 46,2 pontos, abaixo do normal para o mês de agosto.

O indicador de emprego ficou estável em 49,8 pontos –portanto, ainda em nível negativo. Na análise da CNI, o emprego interrompeu a trajetória de queda em agosto e pode voltar a crescer nos próximos meses caso o aumento da produção se repita.

EXPECTATIVAS

As expectativas dos industriais para os próximos seis meses também se elevaram ao passar de 58,5 pontos em agosto para 59,2 em setembro. Nesta parte da sondagem, como o questionário foi respondido em setembro, ao informar as expectativas sobre o futuro a CNI considera o mês corrente.

Em relação ao emprego, a expectativa também é positiva e alcançou 51,8 pontos.

A Sondagem Industrial foi feita entre os dias 3 e 14 de setembro com 1.983 empresas, das quais 709 são pequenas, 759 médias e 515 grandes.

 

Fonte: Folha de São Paulo