As maiores altas foram observadas na Bahia (7%) e no Nordeste (6,2%)

O IBGE mostra que entre fevereiro e março a produção industrial cresceu em sete dos 14 locais pesquisados. As maiores altas foram observadas na Bahia (7%) e no Nordeste (6,2%), mas vale lembrar que esses dois locais tinham registrado queda forte em fevereiro, por conta da menor produção no setor de produtos químicos, em razão do apagão que afetou a região.

Nos outros locais – Ceará (2%), Rio Grande do Sul (1,9%), São Paulo e Espírito Santo (ambos com 1,6%) e Paraná (1,1%), as taxas foram mais baixas, e o ritmo de crescimento foi parecido. 

Por outro lado, Amazonas (-8,9%), Pará (-4,6%), Rio de Janeiro (-3,8%), Pernambuco (-2,2%), Santa Catarina (-1,2%), Goiás (-0,6%) e Minas Gerais (-0,1%) tiveram queda. Como já publicamos aqui neste blog, em março, a produção industrial brasileira cresceu 0,5% em relação ao mês anterior.

Na comparação com março de 2010, dez locais apresentaram taxas negativas, segundo o IBGE. Já no acumulado do ano, em sete locais dos 14 pesquisados a produção aumentou, como foi o caso de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Neste caso, os maiores avanços foram vistos em locais com forte presença de setores relacionados à produção de bens de capital (para construção, transportes e industriais), de consumo duráveis (automóveis, celulares e motos), setores extrativos (petróleo, gás natural e minérios de ferro) e de metalurgia básica.

Fonte: Estadão