Maior alta partiu do Paraná, que viu sua produção aumentar 11,3%.No mês, a atividade fabril no país subiu 2,5%

A produção industrial registrou alta em 9 dos 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em janeiro de 2013, já descontadas as influências sazonais, segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira (13). No mês, a atividade fabril subiu 2,5%.

Neste mês, o maior destaque partiu do avanço da produção do Paraná, de 11,3%, após perder 9,2% entre novembro e dezembro. Seguiram a mesma tendência de alta  Ceará (9,3%), Rio Grande do Sul (7,1%) e Rio de Janeiro (3,1%). Cresceram também, mais abaixo da média nacional, Amazonas (1,9%), Minas Gerais (1,6%), São Paulo (1,6%), Santa Catarina (0,6%) e Região Nordeste (0,3%).

Na contramão, estão as produções Goiás (-4,9%), Pará (-3,1%), Bahia (-2,1%), Pernambuco (-1,0%) e Espírito Santo (-0,5%), que registraram quedas.

Frente a janeiro de 2012, a produção industrial nacional, que registrou alta de 5,7% em janeiro, cresceu em 10 dos 14 locais pesquisados. Os destaques ficaram com Ceará (15,4%), Rio de Janeiro (13,0%) e Minas Gerais (10,1%), “impulsionadas em grande parte pelo comportamento positivo dos setores de produtos têxteis, alimentos e bebidas, calçados e artigos de couro e minerais não-metálicos e veículos automotores, entre outros.  Na sequência, aparecem Bahia (7,3%), São Paulo (5,3%), Pará (4,8%), Região Nordeste (4,4%), Santa Catarina (3,1%), Rio Grande do Sul (1,9%) e Pernambuco (1,6%). Na outra ponta, tiveram queda Espírito Santo (-8,1%), Goiás (-4,0%), Paraná (-3,9%) e Amazonas (-2,2%).

Em 12 meses, a indústria caiu 1,9% em janeiro, contra -2,6% no mês anterior. Na análise regional, oito dos 14 locais pesquisados mostraram taxas negativas. A maior queda partiu do Amazonas (-7,3%), seguido por Espírito Santo (-6,7%), Paraná (-5,5%) e Rio Grande do Sul (-4,8%). Tiveram as maiores altas Bahia (4,3%) e Minas Gerais (2,4%).

Na comparação com janeiro de 2012, 10 de 14 locais pesquisados pelo IBGE mostraram avanço na produção em janeiro, o que para André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do instituto, mostra um ritmo mais intenso na atividade industrial do país. O destaque é a indústria fluminense, que teve bom desempenho nos setores farmacêutico, de automotores, de refino, de bebidas e de edição e impressão, principalmente de CDs. A alta de 13% registrada em janeiro de 2013 interrompe 15 meses de taxas negativas, e é a melhor desde fevereiro de 2012, quando marcou 17,7%, explicou André Macedo.

Também São Paulo, com alta de 5,3% na comparação com janeiro de 2012, registrou o maior resultado desde fevereiro de 2011, quando foi 7,6%.

O avanço de 10,1% registrado em Minas Gerais tem nos automóveis, no refino, e na indústria extrativista seus destaques, principalmente com o minério de ferro, muito prejudicado em janeiro de 2012 por causa das chuvas no estado.

Na comparação com dezembro de 2012, a indústria paranaense, que cresceu 11,3% em janeiro, interrompendo duas quedas em seqüência e um recuo de 99,2%, deve o bom desempenho à melhora na produção de caminhões, e na edição e impressão de livros, segundo o gerente do IBGE.

Outro destaque citado por ele  na comparação com dezembro de 2012 foi o desempenho do Ceará, com alta de 9,3%, principalmente na indústria de calçados e couros após férias no setor em dezembro.

Fonte: G1.com