O presidente do SindMetal-GO, Eugênio Francisco, participou na quinta-feira, 29 de setembro, do “Dia de Unidade de Ação Metalúrgica em Defesa dos Direitos e da Aposentadoria”, em Catalão-GO. Cerca de 3 mil trabalhadores metalúrgicos se reuniram com o objetivo de exigir do governo ações efetivas para o reaquecimento da economia. A mobilização faz parte da campanha nacional “Cortar Direitos Não Gera Emprego! Retomada da Economia Já!”.

Cerca de 3 mil trabalhadores metalúrgicos se reuniram com o objetivo de exigir do governo ações efetivas para o reaquecimento da economia.

Cerca de 3 mil trabalhadores metalúrgicos se reuniram com o objetivo de exigir do governo ações efetivas para o reaquecimento da economia.

A campanha, organizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM) e a Força Sindical, tem como objetivo fomentar uma intensa comunicação não somente nas fábricas, mas também junto à população em geral. O foco é alertar sobre as propostas do Governo que ameaçam os direitos trabalhistas, além de pressionar soluções que acelerem a economia e a geração de empregos.

A campanha, organizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM) e a Força Sindical

A campanha foi organizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM) e a Força Sindical

O presidente do SindMetal-GO, Eugênio Francisco, afirma que o evento é importante para a categoria pois instiga os trabalhadores a lutarem pelos seus direitos. O dirigente considera essencial o apoio dos sindicatos em paralisações como essa. “Temos que mostrar para o governo que o trabalhador tem voz e que não iremos aceitar os cortes nos direitos conquistados”. Após cinco horas de mobilização e 8 km percorridos, o protesto foi encerrado em frente ao prédio da Justiça do Trabalho.

“Temos que mostrar para o governo que o trabalhador tem voz e que não iremos aceitar os cortes nos direitos conquistados” - Eugênio Francisco, presidente do SindMetal-GO.

“Temos que mostrar para o governo que o trabalhador tem voz e que não iremos aceitar os cortes nos direitos conquistados” – Eugênio Francisco, presidente do SindMetal-GO.