O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, pode ser o próximo denunciado por envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras. Segundo o jornal “O Globo”, o Ministério Público Federal denunciará o parlamentar ao Supremo Tribunal Federal (STF) ainda nesta quarta-feira, 19 de agosto.

A denúncia tem origem na acusação de um dos principais delatores da Operação Lava-Jato, o empresário Júlio Almeida Camargo, que confessou em seu depoimento ter pagado propina de US$ 5 milhões ao deputado. O pagamento teria sido feito para facilitar a assinatura de contratos de aluguel de dois navios-sonda pela empresa brasileira.

Caso a denúncia seja aceita pela Justiça, o presidente da Câmara se tornará réu no escândalo investigado pela operação da Polícia Federal e poderá ser enquadrado nos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.