Os empresários denunciaram aumentos abusivos e falta de diálogo sobre os impostos

Empresário integrantes do Fórum Goiano Empresarial e do Fórum Goiano Habitacional se reuniram na manhã deste sábado com o prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, para debater a proposta de reajuste do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e Imposto Territorial Urbano (ITU) na capital goiana. Os representantes das entidades contestavam a proposta original da prefeitura, que aumentava para 24 o número de alíquotas.

Os empresários denunciaram aumentos abusivos e falta de diálogo sobre os impostos e propuseram alíquota única para imóveis residenciais com valor venal acima de R$ 50 mil. A contraproposta do prefeito acrescentou duas alíquotas para imóveis residenciais avaliados entre R$ 50 mil e R$ 100 mil e acima de R$ 800 mil.

Depois de realizarem análises e projeções sobre os números, a nova proposta, elaborada de forma conjunta, mantém o imposto progressivo, porém diminui o número de alíquotas. No caso dos imóveis residenciais, as propriedades com valor até R$ 50 mil pagarão 0,2% sobre o valor venal. As de R$ 50 mil a R$ 100 mil paragão 0,4%. De R$ 100 mil a R$ 800 mil, 0,55% e acima de R$ 800 mil, 0,6%.

Já as alíquotas para os imóveis comerciais serão de 0,5% para aqueles de até R$ 150 mil e acima desse valor 0,7%. Os proprietários de lotes com valor até R$ 100 mil pagarão 0,5% e acima dese valor 1,0%. O secretário municipal de Finanças, Jeovalter Correia, informou que a nova proposta será enviada para a Câmara Municipal e deve ser apreciada até a próxima quarta-feira (24/9.

Fonte: Ar  a Redação