O preço médio anunciado dos imóveis residenciais no País continua subindo em um ritmo superior ao da inflação, embora venha perdendo força mês a mês. Entre janeiro e agosto, o valor médio do metro quadrado aumentou 4,8%, atingindo R$ 7,415. A alta é 0,8 ponto porcentual superior à inflação esperada para o período, de 4%, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Os dados fazem parte do Índice FipeZap Ampliado, pesquisado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Dentre as 20 cidades analisadas, os maiores aumentos de preços entre janeiro e agosto foram registrados em Goiânia (9,1%), Vitória (8,3%) e Campinas (7%). No caso de São Paulo e Rio de Janeiro, maiores mercados imobiliários do País, as altas foram de 5,9% e 6,1%, respectivamente.

Apesar da subida, os preços das moradias estão perdendo fôlego. No acumulado dos últimos 12 meses até agosto, a alta foi de 9,9% – a nona desaceleração consecutiva. “O ímpeto nos preços está perdendo força. É natural que os ciclos econômicos tenham momentos de euforia seguidos por momentos de calmaria”, avaliou Bruno Oliva, economista da Fipe. “Daqui para frente, acreditamos que os preços vão se acomodar, sem altas nem quedas expressivas.”

Fonte: O Popular