Um suposto esquema de pagamentos de propina que envolve montadoras de automóveis e o governo do então presidente Lula está sendo investigado pela Polícia Federal. O caso foi revelado pelo jornal O Estado de São Paulo no começo do mês de outubro.

Segundo documentos obtidos pelo jornal, há indícios de que a Medida Provisória (MP) 471, que prorrogou a política de descontos no Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) para veículos produzidos nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, tenha sido “comprada” para contemplar o interesse das montadoras, propiciando incentivos fiscais de R$ 1,3 bilhão por ano ao setor.

Ainda de acordo com o jornal, o grupo automotivo CAOA, que produz veículos da Hyundai, teria pagado propina a um empresário ligado ao ex-ministro do Planejamento, Fernando Pimentel, do PT, em troca de benefícios fiscais do governo. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) já autorizou buscas, na semana passada, em endereços de executivos do grupo CAOA para auxiliar as investigações.