Agricultura teve alta de 5,5% em 2012 e puxou para cima o Produto Interno Bruto em Goiás, quatro vezes maior que o do País

O Produto Interno Bruto (PIB) de Goiás, que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no Estado, cresceu 3,8% no ano passado, impulsionado principalmente pela atividade do campo. O resultado obtido em Goiás é uma estimativa, mas mostra desempenho quatro vezes superior ao registrado no País, que somou 0,9% no ano passado. Sobre os anos anteriores, o PIB estadual só é maior que o encontrado em 2009, quando alcançou 0,9%.

A atividade agrícola goiana cresceu 5,5% no ano passado diante de um recuo de 2,3% no cenário nacional e liderou o PIB em Goiás. O destaque fica por conta da safra de milho, que cresceu 43,3%, seguida da soja (8,6%), feijão (7,6%) e cana-de-açúcar (6,3%). Nem mesmo quedas na produção de arroz (-9,6%), algodão (-17,6%) e tomate (-20,5%) foram suficientes para reverter o cenário positivo obtido no campo. Na pecuária, suínos (9,1%) e leite (6,6%) foram os destaques.

Os números foram calculados pelo Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (IMB) e mostram que a indústria avançou 3,5% e, mais uma vez, houve recuo no País (-0,8%). O destaque foi o setor de serviços industriais de utilidade pública (Siup), com aumento de 10,1%, construção civil (2,6%) e da indústria de transformação (2,5%).

“Isso revela a pujança da nossa economia e nos mostra que precisamos melhorar, cada vez mais, nossa infraestrutura para continuar tendo índices positivos”, explica o secretário de Gestão e Planejamento, Giuseppe Vecci, que divulgou os dados ontem, juntamente com a chefe do IMB, Lillian Prado.

Serviços

O setor de serviços, embora com crescimento inferior ao da agropecuária (3,5%), foi determinante para o resultado do PIB goiano, devido ao seu peso na estrutura estadual (59,3%). Os destaques ficaram por conta de transportes (14,5%), serviços prestados às empresas (3,7%), alojamento e alimentação (3,6%), administração, saúde e educação pública (3,1%) e comércio (1,7%).

Segundo Prado, as projeções para 2013 não vislumbram um cenário com baixas na economia, embora a projeção da safra 2012/13 reserve números negativos para o Estado. “O ano começou bem. Tudo indica que as exportações continuem respondendo e que a economia goiana apresente taxas positivas, superiores às nacionais”, diz. A estimativa para o PIB brasileiro é de crescimento de 3,0% a 4,0% este ano.

Fonte: O Hoje (GO)