Próximos meses manterão a crescente no Estado, acredita economista

O Produto Interno Bruto (PIB) de Goiás registrou um avanço de 2,1% no primeiro semestre de 2014, em relação ao mesmo período do ano anterior. Conforme os dados divulgados ontem pelo Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos da Secretaria de Gestão e Planejamento (IMB/Segplan), o desempenho foi alavancado pelo setor de serviços (2,2%), agropecuária (2,0%) e indústria (2,0%). O valor estimado para o PIB goiano, nesse segundo trimestre, atingiu o montante de R$ 36,060 bilhões.

“Goiás tem algumas peculiaridades que divergem das principais regiões do Brasil. O nosso PIB tem como base principal o setor de serviços, que representa mais de 60% do geral. Outros Estados sentem mais o impacto das indústrias, caso que não é constatado aqui”, acentua o superintendente do IMB, Aurélio Troncoso. “O Estado ainda tem muito para crescer. Os incentivos fiscais ainda atraem muitas empresas que estão preferindo o Centro-Oeste pela localização e condições de desenvolvimento”, acrescenta.

Para o superintendente, o desempenho favorável no primeiro semestre foi alavancado pela recuperação da indústria de transformação, principalmente, pelos produtos alimentícios e produção de etanol, uma vez que foi registrada uma safra recorde de cana-de-açúcar. “Esse setor foi fundamental e também puxou a agroindústria, estabilizando o segmento. A colheita e a movimentação das exportações melhorou muito o agronegócio no segundo trimestre em relação ao primeiro”, avalia Aurélio Troncoso.

A atividade agropecuária no segundo trimestre, mesmo não apresentando um resultado elevado, superou a queda registrada no primeiro trimestre, de 1,9%.

 Expectativa

O economista Wellington Rodrigues acredita que o próximo semestre manterá a crescente apresentada pelo primeiro no Estado. Para ele, as datas comemorativas de fim de ano movimentarão a economia. “Se tratando do final do ano, terá uma variação ainda melhor. É um período marcado por compras nas indústrias efetuadas pelo comércio para abastecer seu estoque para o Natal e as festas de fim de ano”, informa.

Para ele, o agronegócio também será determinante. “Temos uma economia também sustentada nos commodities. Vimos que teremos uma boa safra este ano, especialmente no campo da soja e do milho, e que tem tudo para melhor o PIB goiano”, diz.

Fonte: O Hoje