Eram 6h quando a equipe do SindMetal-GO chegou à porta da Metal Light, na terça-feira (15). Pouco tempo depois, os empregados compareceram para o expediente e se depararam com o movimento. Demonstrando confiança, 81 trabalhadores aderiram à paralisação para realizar assembleia com o Sindicato sobre as denúncias dos próprios operários.

Clique aqui para ver mais fotos

Segundo eles, a direção da Metal Light coagiu os empregados para que assinassem uma lista e concordassem com o Banco de Horas. Quem fosse contra o acordo individual, seria demitido. A direção da empresa também teria afirmado que o SindMetal-GO estaria de acordo com os termos do acordo individual do banco de horas.

Todas as informações foram veemente negadas pelo Sindicato. “Não recebemos nenhum contato da Metal Light para discutir o Banco de Horas, até porque a decisão final é sempre dos trabalhadores. Jamais tomaríamos qualquer atitude sem consultar os empregados. Fizemos a assembleia para desmentir cara a cara as informações plantadas pela empresa aos trabalhadores metalúrgicos”, afirmou o presidente do SindMetal-GO, Eugênio Francisco.

O secretário geral da Força Sindical Goiás, Rherman Souza

O secretário geral da Força Sindical Goiás, Rherman Souza agradeceu a presença dos trabalhadores e destacou a atuação do SindMetal-GO. “Não é qualquer sindicato que faz isso pela categoria”. Presidentes do Sindicato dos Vigilantes, Sindicato dos Químicos e do SindForte deram apoio à paralisação.