O anúncio da Caixa Econômica Federal desta segunda-feira, 27 de abril, representa mais um golpe do governo Dilma no bolso do trabalhador. Após anunciar nova taxa de juros para os financiamentos imobiliários, a Caixa adotou mais uma medida. O brasileiro que pretende financiar um imóvel usado pelo banco agora precisa desembolsar pelo menos metade do valor total para efetivar o negócio. Atualmente é possível financiar até 80% do valor da casa ou apartamento, mas a partir de maio, o limite máximo passará a ser 50%.

Com a economia do país descontrolada, o corte de gastos por parte do governo é inevitável. Mas além de ter perdido a mão na economia, a Presidente ainda tenta consertar as lambanças prejudicando sempre o lado mais fraco: o do trabalhador, justo o que mais sofre com a crise. Por que não cortar gastos internos do governo ou os incentivos fiscais para indústrias que já são milionárias?

A resposta é simples: o partido se diz dos trabalhadores, mas sempre atendeu os interesses do capital. Foi assim no começo do ano, quando Dilma anunciou mudanças no seguro desemprego e na previdência, prejudicando milhares de trabalhadores. Na época, o então presidente do sindicato falou à imprensa sobre o assunto.

Desde então, a inflação só tem disparado e o PIB só tem encolhido. Como se não bastassem os desmandos petistas, o congresso também não tem ajudado em nada o trabalhador. Na semana passada, deputados aprovaram a PEC das terceirizações, que agora tramita no Senado. O projeto é mais um retrocesso nos direitos dos trabalhadores, enfraquece as categorias trabalhistas e só beneficia os empresários.