Cesta básica está mais cara neste fim de ano

Em novembro, inflação atinge preço dos alimentos básicos

O Índice de Preços ao Consumidor em Goiânia (IPC), divulgado pela Superintendência de Estatística, Pesquisa e Informações Socioeconômicas (Sepin), informou nesta terça-feira, 06 de dezembro, os produtos que mais afetaram a inflação do mês de novembro.

Os alimentos voltaram a pressionar a inflação. O desempenho do grupo alimentício em outubro era de -0,10%, mas pulou para 2,06% no mês seguinte. Com isso, em novembro a inflação fechou em 0,88%, acima do mês anterior, 0,19%, porém menor, se comparado ao mesmo período do ano passado, 1,40%.

A carne bovina, com aumento de 10,15%, e as frutas, que subiram 8,34%, são as vilãs deste mês. O arroz, de -1,27%, para 1,92%; e o feijão carioca, de -4,33% para 4,88%, também subiram devido às chuvas. O pão francês subiu 3,03% comparado ao mês anterior. Já as frutas dispararam de -1,88% para 8,34%.


Frutas são uma das vilãs na inflação de novembro

Cesta básica

Com a alta da carne bovina, frutas, arroz e feijão, a cesta básica em novembro foi a chegou à maior variação desde outubro do ano passado. Ou seja, a cesta básica está mais cara neste fim de ano, R$ 207,71. Outro vilão deste mês foi o vestuário, que de 0,13%, passou para 1,73%. Calçados (1,58%) e acessórios (4,40%) foram os responsáveis pelo aumento.


Arroz e feijão estão em alta na inflação de novembro

Veja também:

>> Alimentos pressionam inflação de Goiânia

>> Alimentos têm a maior alta do ano em Goiânia, segundo IPC

>> Transporte e alimentação pressionam inflação em Goiânia

Fonte: Assessoria de Comunicação do SindMetal-GO

Deixe um comentário