A pauta operária será defendida de forma conjunta pelas centrais sindicais

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, filiado à CSP-Conlutas, vai parar diversas fábricas no Dia Nacional de Greves, Paralisações e Protestos, marcado para 11 de julho. Serão realizadas manifestações para cobrar da presidente Dilma Rousseff medidas em favor da classe trabalhadora.

A pauta operária será defendida de forma conjunta pelas centrais sindicais CSP-Conlutas, CUT, Força Sindical, UGT, CGTB, CTB, CSB e NCST. Entre as reivindicações dos trabalhadores estão a redução da jornada para 40 horas, o fim do Fator Previdenciário, redução do preço e melhoria na qualidade dos transportes coletivos, entre outras. (veja abaixo a pauta completa)

Em São José dos Campos, também será defendida a adoção do Contrato Coletivo Nacional dos metalúrgicos e a punição aos corruptos e corruptores.

O Sindicato está realizando, desde o dia 27 de junho, assembleias e paralisações em diversas fábricas da região, em que os trabalhadores aprovaram a participação nas manifestações do dia 11.

A base do Sindicato abrange as cidades de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá, com cerca de 43 mil metalúrgicos. Entre as indústrias com planta na região está General Motors, Embraer e Avibras.

Outros sindicatos e movimentos populares também estão se organizando, junto com os metalúrgicos, para as mobilizações. São eles: Químicos, Petroleiros, trabalhadores dos Correios e da Saúde, Admap (Associação Democrática dos Aposentados e Pensionistas), Movimento Mulheres em Luta, Movimento Passe Livre, ANEL (Assembleia Nacional dos Estudantes Livre) e PSTU.

“Chegou a vez dos trabalhadores lutarem por seus direitos. Os protestos que tomaram conta do país nas últimas semanas comprovaram que só a luta leva à conquista. Esta é a hora de exigir do governo federal que mude sua política econômica e tome medidas em favor dos trabalhadores. No dia 11 de julho, vamos parar as máquinas para ampliar nossos direitos”, afirma o presidente do Sindicato, Antonio Ferreira de Barros, o Macapá.

A pauta unificada do dia 11 de julho inclui:

– Redução da jornada de trabalho;

– Fim do fator previdenciário e aumento das aposentadorias;

– Contra o PL 4330, da terceirização;

– Reduzir o preço e melhorar a qualidade dos transportes coletivos;

– Mais investimentos na saúde e educação pública;

– Reforma Agrária;

– Fim dos leilões das reservas de petróleo. 

 

Fonte: Mundo Sindical