Produção da Nokia pode ser paralisada por sindicato em Manaus

O Sindicato dos Metalúrgicos alegou que a empresa, líder na produção de celulares do Polo Industrial de Manaus (PIM), não paga adicional noturno aos colaboradores

O Sindicato dos Metalúrgicos ameaça paralisar as atividades na fábrica da Nokia, em Manaus, caso a empresa não resolva questões trabalhistas, segundo disse ontem o presidente da entidade, Valdemir Santana. O anúncio foi feito após o Tribunal Regional do Trabalho suspender a liminar que impedia as demissões na fabricante finlandesa.

O presidente alegou que a empresa, líder na produção de celulares do Polo Industrial de Manaus (PIM), não paga adicional noturno aos colaboradores. “Além disso, os funcionários ficam mais de duas horas dentro dos ônibus da rota e a empresa não oferece creche suficiente”, disse o sindicalista.

Desvio de função foi outra reclamação do presidente do sindicato. “São diversos problemas que podem ser resolvidos no diálogo, mas se não conseguirmos vamos ser obrigados a parar a Nokia”, afirmou o presidente.

O anúncio foi feito em coletiva, convocada pelo próprio presidente, para falar sobre a suspensão da liminar em ação impetrada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) no TRT. Na segunda-feira, a justiça do trabalho mandou a empresa reintegrar 46 trabalhadores demitidos em novembro passado por, de acordo com o processo, apresentarem algum tipo de lesão adquirida no serviço.

Ivanete da Silva, 45, foi uma das demitidas em 16 de novembro. Ela iria passar pela bateria de testes ontem mas, com a suspensão da liminar, a ex-operadora de produção recebeu a notícia de que todo o processo de volta ao trabalho também havia sido cancelado.

“Tentamos falar com o setor de Recursos Humanos, mas ninguém nos responde. Todos estão sem saber o que fazer e, tecnicamente, continuamos desempregados. Temos laudos e exames que comprovam que estamos falando a verdade”, disse. O DIÁRIO tentou ouvir a Nokia mas a empresa prometeu falar sobre o assunto somente na segunda, dia 19.

Dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic) apontam que a fabricante finlandesa faturou, com exportações de celulares, mais de US$ 101,4 mi de janeiro a novembro, sendo a líder desse segmento.

Fonte: D24am.com

Deixe um comentário