Esta foi a segunda vez, apenas neste ano, que a Viação Reunidas atrasa o salário dos funcionários. A primeira ocasião ocorreu em setembro e a paralisação dos motoristas durou por três dias. A estimativa é que pelo menos 140 mil usuários por dia eram afetados pela paralisação deste mês e, para tal, a Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC) efetuou uma operação especial, em que todos os veículos ficaram operando nas linhas de maior demanda. Neste caso, 35 linhas ficaram sem qualquer veículo. Os motoristas ainda questionam a crise financeira do setor, argumentando que as demais empresas concessionários continuam honrando os salários de seus funcionários em dia.

Fonte: O popular