Segmento automobilístico brasileiro está atrás somente de Japão, EUA e China. Expectativa é desbancar japoneses nos próximos anos

O Brasil é o quarto maior mercado mundial de veículos – atrás do Japão, dos Estados Unidos e da China – e sexto maior fabricante. A expectativa do setor e do próprio governo brasileiro é de que nos próximos anos o País desbanque o Japão nesse ranking. As projeções das montadoras é de um mercado anual de 5 milhões a 6 milhões de veículos até 2020.

“O Brasil tem condições de ser o terceiro maior mercado mundial, mas para isso terá de melhorar as condições de renda da população”, diz o consultor da André Beer Consult, André Beer. Em 2011, foram vendidos no País 3,6 milhões de veículos, e a previsão é de um crescimento de 3% a 5% neste ano.

Quase metade das vendas de automóveis no País são de modelos compactos, segmento que terá várias novidades no Salão do Automóvel deste ano, entre as quais o novo Clio que a Renault trará da Argentina e o Peugeot 208 que será fabricado em Porto Real (RJ).

Os recém-lançados modelos Hyundai HB20 e Toyota Etios serão os destaques das duas montadoras asiáticas que acabam de inaugurar fábricas em Piracicaba e Sorocaba (SP), respectivamente.

Carros verdes

A exemplo do que ocorre nos grandes salões internacionais, boa parte dos expositores reservou espaço para os carros verdes, alguns com previsão de vendas locais, como os híbridos Toyota Prius, que deve chegar ao País nas próximas semanas, e o Kia Optima, em fase de homologação.

Embora sem previsão de venda no País, carros elétricos também estão presentes, entre os quais o Renault Twizzy, o Citroën Survolt e o Chery S18, além do já conhecido Nissan Leaf. Modelos futurísticos, os chamados carros-conceito, também têm espaço garantido, como o “carro” individual i-Real e o conectado iiMO, ambos da Toyota.

A Fiat não reservou nenhum lançamento nacional para o salão, mas mostrará a versão conversível do importado 500. Como este ano a importadora oficial da Ferrari ficou de fora do evento, a marca italiana colocará uma unidade em seu estande, a 458 Spider, avaliada em cerca de R$ 2 milhões.

As nove chinesas que estão nessa edição – JAC, Chery, Changan, Haima, Changhe, Great Wall, Rely, Topic e Towner – e a única indiana, a Mahindra, mostram novos produtos e planos para produção local.

O salão terá ainda atrações como o jogador do Santos, Neymar, garoto-propaganda da Volkswagen que visitará o estande pelo menos um dia, e test-drive com modelos da Land Rover no próprio Anhembi. Quem ousou mais foi a Audi, que permitirá a cerca de mil visitantes (em média 80 por dia) dirigir seus modelos pelos arredores do Anhembi.

Entre quatro opções de veículos que estarão à disposição de quem se inscrever em um balcão montado no vizinho hotel Holiday Inn, está o R8 Spyder GT, um supercarrão avaliado em R$ 1,2 milhão.

Fonte: O Hoje (GO)