Declarações do ministro foram dadas ao jornal ‘Folha de S.Paulo’.Decisão, porém, ainda precisa ser referendada pelo Codefat

O valor do seguro desemprego poderá voltar a ter correção acima da inflação, segundo o ministro do Trabalho, Manoel Dias. A informação, dada por Dias ao jornal “Folha de S.Paulo”, foi confirmada ao G1 pelo Ministério.

Neste ano, a correção se deu unicamente pelo valor do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 2012, que somou 6,2%. Se o modelo anterior fosse mantido (INPC mais variação do PIB, que é o cálculo de correção do salário mínimo), a correção teria sido maior em 2013: de 9%.

“A maioria das centrais sindicais é contra esse novo cálculo. Vou restabelecer o cálculo anterior. Isso será decidido na próxima reunião do Codefat. Depois vamos decidir como reequilibrar as contas do FAT [Fundo de Amparo ao Trabalhador]”, afirmou Dias à “Folha”.

A decisão pelo reajuste menor foi tomada de forma unilateral pelo governo e ainda aguarda o aval do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), responsável pelo seguro-desemprego – com representantes do governo, trabalhadores e empresários.

Apesar da intenção do ministro Manoel Dias, a equipe econômica tem se mostrado preocupada, neste ano, com a economia feita para pagar juros da dívida pública e tentar manter sua trajetória de queda, o chamado “superávit primário”. Para 2013, a meta ajustada é de 2,3% do PIB, ou R$ 110,9 bilhões.

Ainda nesta semana será anunciado um corte adicional de até R$ 15 bilhões no orçamento de 2013, que se somará ao bloqueio de R$ 28 bilhões anunciado em maio, justamente para assegurar o atingimento da meta fiscal. Uma correção menor do seguro-desempego ajuda a conter os gastos públicos.

Fonte: G1