08/01/16

A direção do sindicato requereu ao Ministério do Trabalho e Emprego uma fiscalização na empresa Mater Dei Artefatos Metálicos para apurar denúncia de atraso do pagamento de salário. Além de constatar o atraso, pasmem, outras 10 irregularidades foram encontradas pelos auditores.

A empresa não estava cumprindo com a sua obrigação básica de pagar os empregados até o 5° dia útil do mês subsequente ao vencido. Ela deixou de constituir a CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes e não disponibiliza lavatórios com iluminação e material para a limpeza e higiene. 

A empresa não submete o trabalhador a exame médico admissional, não deposita mensalmente o percentual referente ao FGTS e não recolhe o benefício de modo legal. Além disso, pratica irregularidades no cálculo de rescisões do contrato dos empregados, não faz o pagamento adiantado do 13º salário e prorroga a jornada normal de trabalho sem justificativa legal. A empresa foi autuada e terá que se explicar.