Neste sábado (27), a partir das 14 horas, metalúrgicos da General Motors farão um protesto em frente ao Pavilhão de Exposições do Anhembi

A maioria dos manifestantes são funcionários da GM que estão em layoff – com contratos de trabalho suspensos – e que correm o risco de serem demitidos depois do dia 26 de janeiro de 2013. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, pelo menos 230 trabalhadores aderiram ao Programa de Demissão Voluntária (PDV) da montadora.

“É evidente que as montadoras não precisam demitir. Elas estão ganhando dinheiro como nunca e recebendo milhões em benefícios do governo. O Sindicato dos Metalúrgicos e os trabalhadores continuarão cobrando da presidente Dilma medidas imediatas que garantam a manutenção dos empregos. Com esta manifestação, queremos chamar a atenção dos consumidores, das montadoras e do governo para o absurdo desses planos de demissão”, afirma em nota o secretário-geral da entidade sindical, Luiz Carlos Prates.

Durante a abertura do Salão do Automóvel, na quarta-feira (24), a presidenta Dilma Rousseff  anunciou a prorrogação, até o final deste ano, da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para os automóveis novos. A prorrogação do IPI resultará em uma renúncia fiscal por parte do governo federal de cerca de R$ 800 milhões.  A medida, colocada em prática desde maio deste ano já havia sido prorrogada em agosto e contribui para manter as vendas aquecidas. Em contrapartida ao incentivo do governo federal, as montadoras deveriam manter os postos de trabalho.

Apesar disso, os trabalhadores da GM em São José dos Campos afirmam que vivem sob ameaça de demissão em massa nos últimos meses. De acordo com o sindicato, a montadora pretende levar a produção para sua filial em Rosário, na Argentina.

Assembleia

Também no sábado (27) o Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região promovem assembleia geral da campanha salarial, às 10h, na sede da entidade – Rua Erasmo Braga, 307, Presidente Altino, Osasco. O encontro acontece quatro dias antes da data-base da categoria, em 1º de novembro.

Até o momento não há uma proposta oficial em relação ao reajuste. Mas a categoria vem se mobilizando há mais de um mês nas portas das fábricas da região.

Fonte: Portal Vermelho (SP)