Sindicato dos metalúrgicos recusou proposta do sindicato patronal, feita nessa quinta-feira

O Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Criciúma (Sinmetal) rejeitou a segunda proposta oferecida pelo Sindicato Patronal, o Sindimaq, e os metalúrgicos criciumenses entraram em estado de greve nesta sexta-feira. A assembleia aconteceu nessa quinta-feira, na sede do Sinmetal.

A proposta do sindicato patronal era de um aumento de 9% para funcionários que recebessem até R$ 1,5 mil por mês, 8% para quem recebesse acima desse valor e 9% sobre o piso salarial, que atualmente é de R$ 977,9, além de R$ 385 de abono. “Sabemos que as empresas podem melhorar a proposta e não aceitamos o aumento escalonado, queremos o mesmo índice para todos”, disse o presidente do Sinmetal, Francisco Pedro dos Santos. 

O sindicato continuará em negociação, e uma nova assembleia ficou agendada para a próxima quarta-feira, às 19 horas. “Se os números não avançarem os trabalhadores deverão aprovar paralisação”, avaliou Francisco. 

São cerca de 1.400 trabalhadores na região atuando nas seis maiores metalúrgicas de médio a grande porte em Criciúma, Araranguá e Cocal do Sul entre elas a Icon de Criciúma, CMC e Cardal de Cocal do Sul e Metalúrgica Pagé de Araranguá. 

Colaboração: Maristela Benedet/Comunicação do Sinmetal

Fonte: Engeplus