Metalúrgicos do Rio Grande, no Sul do estado, se amarraram em frente ao estaleiro da Queiroz Galvão e Iesa Óleo e Gás (QGI) durante protesto na manhã desta terça-feira (23). Segundo o presidente do sindicato da categoria, Benito Gonçalves, a manifestação foi realizada para pressionar uma definição sobre os contratos entre a empresa e a Petrobras.

Os integrantes do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Rio Grande montaram acampamento em frente ao estaleiro na Avenida Honório Bicalho por volta das 4h da manhã. De acordo com os operários, a mobilização só termina quando houver uma decisão sobre a construção das plataformas P-75 e P-77, ainda sem definição.

O contrato entre Petrobras e QGI foi assinado em setembro de 2013 no valor de US$ 1,6 bilhão, mas o estaleiro pede mais US$ 160 milhões alegando mudanças feitas pela petroleira no projeto inicial. No entanto, a estatal concorda em elevar o montante em até US$ 21 milhões, e avisou que pode buscar outro consórcio para atuar em Rio Grande ou executar os projetos na China.

Veja também:

> Em condições precárias, Wassily Chuc vai ser fechado

> Conversas de Whatsapp entre deputados revelam troca de apoio por emendas

> Dilma veta fórmula 85/95 e cria nova regra para aposentadoria

 
Fonte: Núcleo de Jornalismo e Assessoria de Imprensa