11/04/2016

Foram necessários três meses e quatro reuniões para o sindicato patronal que representa os setores metalúrgico e de material elétrico apresentar uma contraproposta para renovar a convenção coletiva da categoria para 2016/2017. A pauta contendo as reivindicações dos trabalhadores foi protocolada no órgão em 20 de janeiro de 2016.

De mãos vazias, os donos do capital não quiseram discutir novas cláusulas, limitando-se apenas ao índice de aumento salarial e à renovação das conquistas adquiridas na convenção que acabou de vencer. Essa posição – que não é nova – mais uma vez causou indignação aos membros da comissão de negociação do SindMetal-GO, que preparou e mobilizou a categoria para uma negociação de verdade, segundo o presidente da entidade, Eugênio Francisco de Oliveira.

A diretoria convocou uma assembleia permanente dos trabalhadores desses setores para a sexta-feira, 15 de abril, para analisar e definir se aceitam a contraproposta e em consequência o fechamento da convenção coletiva. Uma ampla consulta será feita aos trabalhadores. Além da reunião na sede da entidade, membros da comissão negociadora realizarão encontros nos locais de trabalho.