Movimento protesta contra plano de demissões da empresa

Cerca de 120 metalúrgicos realizaram um protesto, na tarde deste sábado (27), nas imediações do Pavilhão de Exposições do Anhembi, contra o plano de demissão da General Motors para a fábrica de São José dos Campos. Os manifestantes saíram da Avenida Olavo Fontoura, às 14h, e seguiram a pé até o recinto de exposições.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, que organizou o movimento, participaram do protesto os trabalhadores que estão com os contratos de trabalho suspensos até 2013.

A manifestação terminou por volta das 15h30, no portão principal do Salão do Automóvel. Com faixas, apitos e cartazes, eles cobraram medidas para a manutenção dos empregos.

PDV

Há exatamente um ano, a GM abriu um PDV em todas as fábricas do país. O foco eram funcionários do setor administrativo e o pessoal do setor produtivo (horistas) de São José dos Campos. O pacote contou com a adesão de 550 trabalhadores.

A justificativa na época relacionou a redução no efetivo ao fato da empresa ter concentrado a produção de novos modelos em São Caetano do Sul e Gravataí, unidades que contrataram.

Oito meses mais tarde, em junho deste ano, um novo PDV desligou 356 funcionários. A justificativa foi adequar a produção da fábrica à demanda do mercado.

O último PDV do período foi aberto em setembro, pouco depois que a GM confirmou a intenção de fechar o MVA – que empregava 1.840 funcionários. O programa continua aberto e até o momento contou com 232 adesões.

A empresa confirma que possui atualmente um excedente de mão de obra e não descarta demitir após 26 de janeiro – prazo final da suspensão dos contratos de trabalho, o chamado layoff, de 824 trabalhadores e data prevista para o encerramento das atividades no MVA, onde trabalham atualmente 900 operários. Os dados são do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos.

 

Fonte: G1.com