Em assembleia geral realizada na terça-feira, 15 de março, às 15h, os trabalhadores do setor automotivo definiram a pauta de reivindicação da campanha salarial 2011, no pátio em frente da GM, em Gravataí.

Participaram da convocação muitos trabalhadores e sindicalistas, incluindo o presidente da Força Sindical-RS, Cláudio Janta, o diretor da Força Cláudio Correa e o diretor Marcelo Furtado, entre outros.

Os metalúrgicos do setor automobilístico querem melhores salários e condições de trabalho, em face de uma rotina cada vez mais apertada e dos lucros recordes na produção de veículos pelas empresas.

Dentro da GM, há 22 diretores sindicais que representam a categoria e estão disponíveis para negociar com patrões as necessidades dos trabalhadores.

O presidente da Força Sindical-RS, Cláudio Janta, saudou a presença maciça dos profissionais da GM e afirmou que a central foi à assembleia para prestar solidariedade e apoio à luta dos funcionários da montadora.

“Vocês não estão sozinhos, vamos lutar juntos. Se a GM fizer uma boa convenção e dar um bom dissídio dará também um norte para os trabalhadores do RS e até do Brasil”, disse aos trabalhadores.

Segundo Janta, os trabalhadores fizeram o possível para o Brasil não sentir os efeitos da última crise e agora querem dividir os ganhos, o que é plausível diante dos grandes lucros das empresas de carro que estão batendo recordes de venda.

“Hoje é um dia muito importante, estamos aqui com o pé firme para melhorar dos trabalhadores”, bradou.

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Gravataí representa mais de 15 mil trabalhadores.

Principais reivindicações aprovadas na assembleia:

Reposição da inflação mais aumento real – 12% Correção de 50% nos abonos GM e sistemistas Pagamento do DSR sobre 220 horas Pagamento de quinquênio de 5% Pagamento do PPR (GM) de R$ 7.000,00 nos 100% com absenteísmo individual Pagamento de valor igual do PPR (sistemistas) de R$ 3.000,00 Pagamento e gozo de 30 dias de férias para cada área técnica Plano de cargos e salários Correção de 50% na tabela de desconto para aquisição de carro zero Implantação 3° turno Implantação do fretamento de funcionários Jornada semanal de 42 horas efetivamente trabalhada Taxa negociada de 4% a incidir no abono, no reajuste e no PPR

Fonte: Mundo Sindical