Com a paralisação, empresa fica sem a produção diária de mais de 120 veículos pesados na fábrica da Cidade Industrial de Curitiba

A Volvo ficou sem a produção diária de mais de 120 veículos pesados na fábrica da Cidade Industrial de Curitiba nesta segunda-feira, primeiro dia de greve dos 3,2 mil metalúrgicos da empresa.

Os funcionários resolveram cruzar os braços enquanto não há um entendimento sobre as parcelas de participação nos lucros e resultados (PLR) 2011. A proposta da empresa de R$ 5,5 mil de PLR foi rejeitada pelos trabalhadores, que pedem R$ 10 mil, sendo R$ 8 mil em dinheiro e R$ 2 mil de vale-mercado.

Uma nova assembleia dos trabalhadores chão de fábrica foi marcada para esta terça-feira, a partir das 7h. Já os funcionários do setor administrativo aceitaram a proposta da empresa e trabalharam normalmente nesta segunda na Volvo.

A empresa informou ao iG, por meio de sua assessoria de imprensa, que o valor pedido pelos trabalhadores está fora da realidade atual da Volvo. Ainda aberta a negociações, a empresa permanece com proposta de R$ 5,5 mil, um aumento de 13,3% em relação ao que foi pago no ano passado e acima da inflação. A produção diária da fábrica paranaense da Volvo é de 14 ônibus, 63 caminhões pesados e 47 caminhões leves.

Volkswagen

Na Volkswagen, a empresa de São José dos Pinhais (Região Metropolitana de Curitiba) avisou que vai pagar 80% do que for negociado com os metalúrgicos do ABC Paulista pelo PLR. Em protesto, os trabalhadores do Paraná fizeram paralisação de uma hora durante cada um dos três turnos de trabalho na última sexta-feira.

Como não houve uma nova proposta nesse início de semana, o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba estabeleceu prazo até às 5h da manhã da próxima quinta-feira para que a empresa se pronuncie. Os trabalhadores querem PLR de R$ 12 mil. A possibilidade de greve e de comprometimento dos 810 veículos produzidos diariamente não estão descartados.

Renault

Os únicos que até o momento chegaram a um acordo foram os metalúrgicos da Renault, também localizada em São José dos Pinhais. Eles fecharam proposta que, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos, pode chegar a R$ 12 mil, somando-se as duas parcelas do PLR. A primeira delas, de R$ 6 mil, deve ser paga até o final desta semana. O valor da segunda parcela depende das metas estabelecidas pela empresa e está programada para ser paga em fevereiro de 2012.

Fonte: Portal IG