A entrega foi feita pela Federação dos Metalúrgicos do Estado de SP

Com uma grande manifestação, os metalúrgicos ligados à Força Sindical no Estado de São Paulo fizeram nesta terça-feira, 25 de setembro, a entrega da Pauta de Reivindicações da categoria à Fiesp (Federação das Indústrias do ESP) e demais grupos patronais, na Avenida Paulista, 1.313.

A entrega foi feita pela Federação dos Metalúrgicos do Estado de SP e dirigentes dos 54 sindicatos da categoria no Estado envolvidos na Campanha Salarial Unificada. A data-base é 1º de novembro e o lema da campanha é: “País rico é País com Emprego, Trabalho Decente e Salário Digno”. A pauta tem 152 cláusulas, econômicas e sociais, com destaque para: reposição integral da inflação, aumento real de salário, valorização dos pisos, licença-maternidade de 180 dias e jornada de 40h, entre outras.

Miguel Torres, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes e da CNTM/Força Sindical, disse aos empresários que não há razão para o setor patronal endurecer nesta campanha salarial.

“No primeiro semestre tivemos 97% dos reajustes negociados, de janeiro a junho, acima da inflação. O Brasil tem uma boa perspectiva de crescimento e a indústria foi beneficiada por medidas de incentivo à produção, com o apoio do movimento sindical e da classe trabalhadora. O cenário econômico é, portanto, favorável à luta dos sindicatos por aumento de salário e avanços na campanha salarial”, argumenta Miguel Torres.

Para ele, o empresariado precisa pensar no setor metalúrgico como um todo. “Trabalhador com aumento real gira a economia, pois consome mais, a produção aumenta e o País se fortalece para enfrentar os períodos de crise”, explica Miguel Torres. 

O secretário-geral do Sindicato, Jorge Carlos de Morais, o Arakém, também esteve presente à entrega da pauta. Na foto ao lado: Arakém e Magrão, presidente da Federação, entregam a pauta ao representante do setor de fundição. “Vamos com toda força de nossa mobilização lutar pelo aumento real e outros avanços econômicos e sociais. Temos consciência de que será uma campanha salarial difícil, mas com unidade sairemos vitoriosos”, diz Arakém.

A secretaria de finanças do Sindicato, Elza Pereira, e o secretário-geral da Força Sindical, Juruna, também tiveram expressiva participação na organização, com apoio dos diretores, coordenadores e assessores do Sindicato, que realizaram em frente à Fiesp uma ruidosa e consciente manifestação. 

 

Fonte: Mundo Sindical