Segundo o coordenador do Sindicato, Cláudio Donizete dos Reis, caso não surja uma proposta favorável à categoria, haverá greve

Os metalúrgicos postergaram para até terça-feira o prazo para que o sindicato patronal apresente outra proposta à Campanha Salarial 2013. O limite anterior era amanhã. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, porém, até lá não estão descartadas assembleias nas empresas com paralisações de até quatro horas.

Ontem, em assembleia na fabricante de autopeças Kostal, em São Bernardo, o diretor executivo da entidade Amarildo do Sesário de Araújo, explicou a nova estratégia. “Vamos aguardar os resultados das reuniões do início da próxima semana. Caso não surja uma proposta favorável à categoria, é greve.” Coordenador do sindicato na Kostal, Cláudio Donizete dos Reis, ratificou: “É como se fala no chão de fábrica. Se o feijão está duro, bota pressão que ele amolece.”

As assembleias, que tiveram início na sexta-feira, têm por objetivo pressionar os empresários a contribuir com o sindicato patronal nas negociações com a FEM-CUT/SP (Federação dos Sindicatos dos metalúrgicos da CUT no Estado de São Paulo). A reivindicação principal é a reposição da inflação mais aumento real de 2%.

“Hoje foram duas horas, na próxima semana serão quatro horas, depois seis, e assim por diante”, afirmou por nota o coordenador do sindicato em Diadema, David de Carvalho.

Araújo chamou a atenção dos funcionários da Kostal, ontem no início da tarde, que é o período de troca de turno. “Estamos aqui. Organizamos as assembleias. Mas com 40% dos companheiros dando as costas para nós, fica difícil conseguir até aumento real.” A maioria dos empregados da autopeças que encerraram o trabalho do período da manhã não ficaram na empresa durante a assembleia, que levou cerca de 30 minutos. No entanto, o sindicalista disse que estava empolgado pela presença dos funcionários ali presentes, cerca de 200, que concordaram com a pressão aos patrões.

CRONOGRAMA

Segundo o sindicato, estão previstas assembleias hoje em São Bernardo na Fibam, Alumbra, Usimatic (prevista para ontem) e Karmann Ghia. Em Diadema, as manifestações ocorrem no Grupo Dana e na Brasmetal.

 

Fonte: Diário do Grande ABC