Expectativa de inflação subiu pela oitava semana seguida. Previsão é que a Selic termine o ano em 12,50%

O mercado elevou pela oitava semana seguida a previsão de inflação neste ano e aumentou os cenários para a Selic em 2011 e 2012, depois de declarações recentes do Banco Central indicam um ciclo mais amplo de aperto.

A estimativa para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 2011 subiu para 6,37%, ante 6,34% na semana anterior, mostrou o relatório Focus divulgado pelo Banco Central nesta segunda-feira (2). O prognóstico para 2012 manteve-se em 5%. A meta do governo é de inflação a 4,5%, com tolerância de dois pontos percentuais (de 2,5% a 6,5%).

A projeção para a taxa Selic no encerramento deste ano aumentou de 12,25% para 12,50%, enquanto a expectativa de juros para 2012 foi elevada de 11,75% para 12%.

No mês passado, o Comitê de Política Monetária (Copom) optou por uma elevação de juro menor, de 0,25 ponto percentual, para 12%, mas em sua ata na semana passada sinalizou que o ajuste precisa ser “suficientemente prolongado”, levando o mercado a prever que apesar de o ritmo ser menor, a dose terá uma duração maior.

Para o crescimento do Produto Interno Bruto, a previsão do mercado para 2011 foi mantida em 4%, enquanto que a estimativa para 2012 foi ligeiramente elevada para 4,25%, de 4,21%.

O prognóstico para a taxa de câmbio neste ano passou de R$ 1,65 para R$ 1,62  por dólar. A projeção para o dólar em 2012 ficou em R$ 1,70.

Contas externas
O mercado financeiro alterou a previsão para o déficit nas contas externas em 2011. A previsão para o déficit em conta corrente neste ano passou de US$ 60,50 bilhões para US$ 60,00 bilhões. Para 2012, o déficit em conta corrente do balanço de pagamentos foi de US$ 69,10 bilhões para US$ 69,50 bilhões.

Já a previsão de superávit comercial em 2011 subiu de US$ 18,00 bilhões para US$ 18,05 bilhões. Para 2012, a estimativa para o saldo da balança comercial passou de US$ 10,05 bilhões para US$ 10,00 bilhões. Analistas elevaram a estimativa de ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED) em 2011, de US$ 45,00 bilhões para US$ 46 bilhões. Para 2012, a previsão seguiu em US$ 45,00 bilhões.

 

Fonte: G1