30/06/2016

Desde o mês de dezembro de 2015 os empregados da Ronaldo Manzi – Etos Construções não recebem salários. A empresa faz vales de pequenos valores, no entanto, não quita o mês trabalhado. Essa situação tornou-se insustentável, pois os empregados precisam honrar seus compromissos pessoais e não tem de onde tirar. Nesta quinta-feira, 30 de junho eles resolveram cruzar os braços por tempo indeterminado até que a situação seja resolvida.

O SindMetal-GO elaborou a pauta de reivindicações tirada em assembleia com os trabalhadores e enviou à direção da empresa propondo uma negociação, no entanto, até o momento ela não se manifestou e a paralisação continua. Além do pagamento atrasado os recolhimentos do FGTS na conta vinculada dos obreiros não estão sendo feitos e vários empregados possuem duas férias vencidas sem receber e nem gozá-las.

O presidente do sindicato, Eugênio Francisco de Oliveira se diz indignado com o descaso dos proprietários. “Nem papel higiênico e copos descartáveis estão sendo fornecidos para os companheiros, é uma calamidade o que está sendo feito com seres humanos que sustentam a empresa”, desabafa.