Metalúrgicos param de produzir a partir do dia 21 de maio, caso multinacional não apresente novas propostas

Os trabalhadores da multinacional TDK, com unidade situada no município de Gravataí, decretaram estado de greve. A medida foi aprovada por mais de 1.200 metalúrgicos em assembleias divididas em dois turnos no dia 17 de maio. 

A iniciativa é considerada um alerta à empresa, que tem prazo de negociações com o Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí definido até a próxima segunda-feira (21/05). Caso não sejam providenciados avanços consideráveis nas negociações até o fim do prazo, a TDK pode ter seus trabalhadores de braços cruzados.

Os trabalhadores reivindicam por Programa de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) maior do que a pequena quantia de R$ 300, já anunciada pela TDK.

– A TDK paga o menor PLR da categoria metalúrgica de Gravataí. Enquanto o trabalhador dá duro o ano inteiro, a empresa oferece apenas R$ 25 por mês. Trata-se de uma multinacional que deseja pagar PLR de fabriqueta de fundo de quintal. Já não bastam os baixos salários recebidos pelos trabalhadores, que são 80% mulheres. O papel do sindicato é defendê-los – ressalta o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí, Edson Dorneles.

Além disso, os metalúrgicos também esperam por maiores benefícios nos planos de saúde, a fim de atender as necessidades das famílias em prol de uma vida digna e saudável.

Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí

O Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí representa aproximadamente 14 mil funcionários dos setores metalmecânico, eletroeletrônicos, autopeças e montadoras de automóvel. Abrange aproximadamente centenas de empresas do município de Gravataí, na região metropolitana de Porto Alegre, entre elas a Montadora General Motors e Sistemistas.

Fonte: SEGS