Apesar de a queda no custo dos empréstimos e financiamentos bancários ter sido colocada como uma das principais bandeiras do governo, a presidente Dilma Rousseff inicia o ano em que disputa a reeleição com os bancos cobrando o mais alto valor para dar crédito às famílias em quase dois anos.

A taxa de empréstimos e financiamentos com recursos livres para pessoas físicas subiu de 38% ao ano em dezembro de 2013 para 39,9% ao ano no mês passado, segundo dados divulgados ontem pelo Banco Central. Trata-se do maior valor médio já cobrado desde março de 2012, quando estava em 41,1% ao ano.

Para o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, a alta dos juros bancários é consequência direta da elevação na taxa básica de juros da economia – desde abril do ano passado, o BC aumentou a Selic em 3,5 pontos porcentuais, chegando a 10,75%.

Fonte: O Popular