Goiás poderá receber investimentos de empresas japonesas nos próximos anos, principalmente fábricas peças e equipamentos industriais

Goiás poderá receber investimentos de empresas japonesas nos próximos anos, principalmente fábricas peças e equipamentos industriais. Membros de uma comitiva formada por 18 executivos de 13 empresas japonesas de vários segmentos, que participaram ontem do Seminário de Negócios Goiás-Japão, na sede da Federação das Indústrias do Estado (Fieg), anunciaram a intenção de construir indústrias no Brasil. Goiás poderá abrigar essas futuras unidades, já que os japoneses pretendem interiorizar seus investimentos no País.

A comitiva foi acompanhada por uma equipe da NHK World, única emissora pública de televisão no Japão. Os empresários conheceram as oportunidades de investimentos em Goiás, o perfil socioeconômico do Estado e os benefícios fiscais e incentivos financeiros do governo estadual.

O diretor presidente da Jetro Nova Iorque, entidade ligada ao governo japonês que trabalha na intermediação entre empresas japonesas e estrangeiras, Kazuhito Sakurai, disse que existem mais de 400 empresas japonesas no Brasil, mas que estão restritas ao eixo Rio -São Paulo. Segundo ele, por causa das longas distâncias em relação a outros Estados brasileiros, elas pretendem aproximar seus investimentos do interior do Brasil. “Queremos estreitar as relações entre grupos empresariais brasileiros e japoneses”.

Borracha

O empresário japonês Tomomasa Fujita, executivo-chefe de Tecnologia da Fujikura Componentes, informou que sua empresa produz componentes de borracha para peças de automóveis e anunciou a intenção da empresa de se instalar no mercado brasileiro. “Hoje, Goiás já conta com grandes montadoras, como a Mitsubishi e a Hyundai, que demandam peças de borracha”, destacou.

O presidente da Fieg, Pedro Alves de Oliveira, confirmou que Goiás realmente demanda empresas para produzirem peças e equipamentos para os automóveis produzidos no Estado. Além disso, segundo ele, o Estado conta com um município grande produtor de borracha, Goianésia, que está oferecendo boas condições para atrair empresas processadoras da matéria-prima. “Em Goiás, sua empresa terá a matéria-prima e o mercado para seus produtos”, disse Pedro à Fujita.

O diretor executivo para América Latina da Mitsubishi Indústrias Pesadas, Yoshihiko Aihara, informou que a empresa tem um projeto para construção de uma fábrica de compressores e um estaleiro no Brasil. Segundo ele, a empresa também tem atua na produção de equipamentos para geração de energia elétrica, fabricação de embalagens ou processamento de celulose, que têm grande demanda no mercado nacional.

O presidente da Fieg ressaltou que Goiás ainda tem diversas oportunidades de negócios na produção agrícola e na área de tecnologia, dominada pelos japoneses. “O interesse dos países asiáticos pela produção goiana de alimentos é crescente”, destacou. Além disso, empresas já instaladas no Estado anunciam a ampliação de seus investimentos, como a Mitsubishi.

Receita recebeu 725,2 mil declarações até ontem

Brasília – O mais recente balanço da Receita Federal aponta que até as 16 horas de ontem foram enviadas 725.200 declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2013. O período para remessa das declarações foi aberto na última sexta-feira e segue até o dia 30 de abril.

O contribuinte que recebeu R$ 24.556,65 ou mais em 2012 terá, obrigatoriamente, de apresentar sua declaração à Receita. Na declaração 2012/2011, o valor era de R$ 23,499,15. Se optar pelo desconto simplificado, o contribuinte terá direito a 20% de abatimento na declaração, limitado à quantia de R$ 14.542,60 (ante R$ 13.916,36 na declaração 2012/2011).

Quem fizer a declaração completa poderá abater R$ 985,96 referente ao pagamento de salário da empregada doméstica (em 2012/11 o abatimento foi de R$ 866,60), informa a Receita. Para cada dependente, o abatimento foi fixado em R$ 1.974,72 (R$ 1 889,64 em 2012/11). Já o gasto com instrução de cada um dos dependentes ficou em R$ 3.091,35 (R$ 2.958,23 em 2012/11).

A Receita lembra que quem tem imposto a pagar e optar pelo débito automático da cota única ou a partir da primeira cota deve enviar a declaração até 31 de março.

A expectativa da Receita Federal é de que as Declarações de Ajuste Anual do Imposto de Renda Pessoa Física este ano superem 26 milhões, estabelecendo um novo recorde.

Fonte: O Popular (GO)