Segundo a empresa, novo regime automotivo viabiliza instalação no país. Complexo industrial deve ficar pronto no fim de 2014

A Jac Motors decidiu iniciar as obras de seu complexo industrial em Camaçari (BA). Segundo a empresa, o novo regime automotivo, divulgado nesta quarta-feira (4) pelo governo, viabilizou a instalação. A pedra fundamental da unidade será lançada em 28 de novembro.

Em comunicado, a montadora chinesa afirmou que o complexo industrial deve ficar pronto no fim de 2014.Os investimentos no projeto serão de R$ 900 milhões, com capacidade produtiva de cem mil unidades por ano. A estimativa é que sejam gerados 13,5 mil empregos, dos quais 3,5 mil diretos e dez mil indiretos.

No texto, Sergio Habib, presidente da JAC Motors, elogiou o regime automotivo e disse que as novas regras beneficiarão a empresa. “Esse regime está bem montado, foi negociado para todas as montadoras (…). Houve uma preocupação grande do governo para reduzir o consumo de combustível dos carros e resolver o problema de quem quer investir no Brasil”, disse.

“Durante os dois anos e meio que leva para montar uma fábrica, o regime permite ter condições econômicas de desenvolver a rede”,  afirmou. Segundo as novas regras, as empresas que investem em fábricas no país podem trazer, anualmente, o equivalente a 25% de sua capacidade de produção sem pagar os 30 pontos adicionais de IPI definidos no ano passado. Permite ainda acumular crédito de IPI equivalente a outros 25% da produção. Esse crédito poderá ser usado para descontar IPI dos carros que forem produzidos no país.

Em julho passado, a montadora divulgou que havia suspendido a construção da fábrica, antes ainda da terraplanagem, devido ao aumento dos 30 pontos percentuais no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros importados de fora do México e do Mercosul. As montadoras instaladas no Brasil também ficaram fora do aumento.

Novas regras

O novo regime permitirá que empresas que produzam no país evitem a elevação do IPI inclusive para a importação de veículos. Segundo as regras, entretanto, as empresas poderão importar até 25% de sua produção estimada no Brasil e, mesmo assim, não ter o IPI elevado em 30 pontos percentuais. Poderá, ainda, importar mais 25% da produção estimada, pagando IPI cheio (com 30 pontos a mais no IPI sendo cobrados), mas com crédito posterior no IPI de carros produzidos no país.

Nesta quarta, ao anunciar as novas regras, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, já havia afirmado que a Jac faria a fábrica, citando também a BMW, montadora que estudava iniciar produção de carros no Brasil.

Fonte: G1.com