A segunda-feira se tornou uma espécie de bicho-papão para a maioria dos trabalhadores. Por isso, muita gente começa a semana já desmotivado para o trabalho, o que acaba prejudicando o rendimento e a qualidade de vida. Mas não precisa ser assim. Quem gosta do que faz, se organiza e tem projetos e ideais de vida consegue sentir muito mais motivação no primeiro dia da semana.

A psicóloga Cyndia Bressan, coordenadora do MBA em Gestão de Pessoas do Insituto de Pós Graduação (Ipog), alerta que esse desânimo pode ser resultado do que a pessoa fez no fim de semana: se descansou ou extravasou. Outro fator importante é o quanto a pessoa gosta do trabalho que faz, pelo menos da maioria dele, e se aquela função a deixa realizada. “Quando não existe isso, todo dia parece segunda-feira”, adverte.

Por isso, uma boa dica é planejar a segunda já na sexta-feira, dando uma ideia de continuidade do trabalho. Além disso, a empresa também pode fazer um movimento de acolhimento na segunda-feira, como um café da manhã, para deixar a equipe mais motivada. “É preciso mudar a maneira de ver o trabalho, não como um instrumento de tortura, mas uma forma de realização pessoal e financeira e até de se sentir útil à sociedade”, explica Cyndia.

A gerente de RH do Ipog, Catarina Portugal, lembra que é comum as pessoas extravasarem no fim de semana e já chegarem cansadas no trabalho às segundas-feiras. Para ela, uma boa dica de motivação é o trabalhador ter foco em seus resultados pessoais e profissionais, dando mais atenção a seus projetos de vida. “Se a pessoa já começa desanimada na segunda, este estado pode se refletir no decorrer de toda semana”, adverte.

Mas Catarina também faz um alerta: se a pessoa já pensa no domingo como algo ruim por anteceder a segunda, pode ser sinal de uma desmotivação com a dinâmica de seu trabalho. Pois tudo fica mais fácil quando a pessoa se levanta pela manhã sabendo que fará algo que gosta. Se este não for o caso, é melhor a pessoa também avaliar se está no local e na atividade certa, exercendo uma função que realmente lhe agrada. “Às vezes, pode ser hora de mudar. Isso é difícil. É preciso coragem e ver além das possibilidades atuais”.

Porém isso pode ser algo necessário, pois ficar permanentemente insatisfeito prejudica o desempenho pessoal e profissional, reduzindo o rendimento e a qualidade de vida da pessoa. Uma pesquisa com 3.254 profissionais de todos os níveis revelou que mais de 70% deles não estão felizes no trabalho. São 72,4% desmotivados contra 27,6% motivados .


Fonte: O Popular